Gasolina mantém alta e etanol já é mais vantajoso em sete Estados

10/08/2020

Após forte queda em maio, os preços da gasolina e do etanol têm mantido tendência de alta com a retomada gradual da economia e a reabertura do comércio.

De acordo com o IPTL (Índice de Preços Ticket Log), em julho o combustível derivado do petróleo apresentou aumento médio de 4,5% na comparação com o mês anterior – o valor médio mais alto do litro foi de R$ 4,395, verificado na Região Nordeste, enquanto o mais baixo foi registrado na Região Sul: R$ 4,168.

Já o etanol subiu menos (1,86%) no mesmo período, chegando à média de R$ 3,582 na Região Norte e de R$ 2,951 no Centro-Oeste. Considerando todos os Estados brasileiros, o derivado da cana-de-açúcar teve variação de 14,93%, contra 5,25% da gasolina.

Com a maior elevação nos preços da gasolina ante o etanol, o combustível de origem vegetal foi mais vantajoso em sete Estados no mês passado.

De acordo com Douglas Pina, head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, dona da Ticket Log, os preços apurados ainda não levam em conta a nova especificação da gasolina, que passou a vigorar nas refinarias e também nas importações desde a segunda-feira passada.

A nova formulação, segundo a Petrobras, vai resultar em maior preço ao consumidor final, mas também irá proporcionar uma redução no consumo de até 6%.

A especificação antiga da gasolina, em média, apresenta consumo aproximadamente 30% menor na comparação com o etanol.

“Com a chegada da nova composição da gasolina, a previsão é de que haja um reflexo no preço das bombas nas próximas semanas. A gasolina, mesmo apresentando um comportamento de alta, ainda manteve em julho a margem de vantagem na relação 30/70 com relação ao etanol. Por conta disso, vamos acompanhar as movimentações do mercado para entender de que maneira, neste primeiro momento, o novo combustível vai gerar um impacto no bolso do consumidor e quando que ele passará a representar um ganho maior em termos de consumo”, avalia o executivo.

Como é feito o cálculo

A definição dos Estados onde o etanol é mais vantajoso tem como base o IPTL (Índice de Preços Ticket Log).

O índice aponta o custo em reais por quilômetro rodado, levando em conta o preço médio do litro do combustível e o consumo médio – fixado em 8,5 km/l para o álcool e em 11,5 km/l para a gasolina. Evidentemente, há variações, dependendo do veículo.

É preciso considerar que o combustível de origem vegetal eleva o consumo em aproximadamente 30%, com variação para baixo ou para cima. Por esse motivo, só vale a pena usar etanol quando a diferença no preço supera percentualmente o gasto extra de combustível.

Fonte: UOL Economia