Consumo de gasolina no país atinge menor índice desde 2012

20/09/2019

Donos de postos de combustíveis aguardam a chegada de novos estoques para definir os preços da gasolina e do diesel, após o aumento anunciado nesta quarta-feira (18) pela Petrobras. O reajuste nas refinarias passou a valer nesta quinta (19).

O consumo de gasolina no país é o menor desde 2012. Ao comparar janeiro a julho com o mesmo período de 2018, a queda é de 4,5%. E olha que o preço da gasolina vinha caindo desde junho. Em agosto chegou ao segundo menor patamar de 2019.

Apesar da queda no consumo de gasolina, o consumo de combustíveis de forma geral no Brasil voltou a crescer. Em 2019, o aumento foi de quase 4%. Este impulso veio principalmente do etanol, o maior concorrente da gasolina. As vendas bateram recorde: alta de 30% em relação a 2018.

“Eu acredito que, uma vez que o etanol continue sendo mais vantajoso, ele vai continuar crescendo. E a frota de carro flex é uma frota muito grande e permite ao consumidor escolher o melhor produto que cabe no seu bolso”, explicou Maria Aparecida Schneider, vice-presidente da Federação Nacional de Combustíveis.

O preço da gasolina está atrelado ao mercado internacional e o preço do barril do petróleo ainda está bem acima da cotação da sexta-feira (13), antes dos ataques nas refinarias da Arábia Saudita.

“Nós estamos num momento de volatilidade, significa que o preço pode subir mais ou pode cair com uma certa velocidade, num cenário que o preço volte a cair, pode haver espaço para que a Petrobras, mantendo a política de alinhamento, esse alinhamento vale para os dois lados, para subir ou para cair, deveria ser assim”, explica Edmar Almeida, professor da UFRJ e especialista em energia.

Fonte: G1/ Jornal Nacional