Dia Livre de Imposto: De gasolina a remédios, preços podem ter até 50% de ‘desconto’

29/05/2019

O Dia do Imposto Livre, celebrado nesta quinta-feira (30), pode render “descontos” de até 50% para os consumidores. O DLI é um dia de protesto contra a alta carga tributária embutida em produtos e serviços no Brasil e muitos estabelecimentos – como postos de combustíveis, farmácias, assistência técnica de celulares, academias e até cinema – vão vender produtos com o valor sem os impostos, cuja redução no preço final pode chegar a até 50%.

O DLI foi criado há 13 anos pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH) e CDL Jovem, e já chegou a, ao menos, 131 cidades brasileiras, em 19 estados, e reúne mais de 2 mil lojas/serviços.
Segundo o vice-presidente da CDL-BH, Fernando Cardoso, o projeto surgiu da indignação da entidade pela alta carga tributária brasileira. “A maioria da sociedade não tem a informação dos altos tributos que estão embutidos no preço final do que adquire em lojas e serviços. Por causa disso, compramos coisas com valores muito altos e que poderiam ter preço muito mais acessível”, diz.

De acordo com Cardoso, o Dia Livre de Impostos teve início com a adesão de postos de gasolina, um bem de consumo direto e de necessidade de consumo imediata. “Alguns postos conseguem reduzir em até 50% o preço final do combustível na bomba, tirando os impostos embutidos na gasolina, por exemplo. Isso tudo é para conscientizar a população do tanto que é pago em impostos federais, estaduais e municipais”, acrescenta o dirigente da CDL-BH.

Como achar produtos sem imposto
A CDL-BH criou um site específico com as empresas (clique aqui) que aderiram ao Dia Livre de Imposto. Você pode filtrar pelo estado, município e segmento do serviço que quer buscar a informação. Infelizmente, na página, não há a descrição dos produtos e serviços específicos que terão seus preços isentos de impostos.

Só para citar alguns exemplos dos participantes do DLI, em Belo Horizonte, a Cineart concederá redução de 30% no valor do ingresso inteiro para filmes nacionais em cartaz em toda a rede de cinemas.

A rede de drogarias Araujo vai abrir suas portas na quinta-feira às 6h, e vai vender dois medicamentos genéricos iguais pelo preço de um. Segundo a Araujo, os impostos representam 33% do valor final pago por um medicamento, percentual que encarece e deixa o item de primeira necessidade ainda mais pesado no orçamento do brasileiro.

O proprietário da Itec Assistência Técnica Especializada, no bairro Santa Rosa, na Pampulha, Igor Silva, que aderiu ao Dia Livre de Impostos pela primeira vez este ano, vai oferecer descontos em serviços e acessórios. “Eu acho importante aderirmos a esse tipo de ação, pois os impostos de tudo que compramos são muito altos. Como boa parte do material de celular é importado, pagamos por mais tributos”, comenta.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), em um ranking de 30 países, o Brasil é o 14º que mais arrecada imposto. A carga tributária brasileira está entre as mais elevadas do mundo, que corresponde a uma média de 42% do rendimento bruto de cada cidadão. O brasileiro trabalha, em média, 153 dias por ano, o que corresponde a cinco meses, só para pagar encargos.

Alto imposto e baixa reversão para o social
“Há produtos brasileiros que sofrem dupla tributação – para o comerciante adquiri-lo e para revendê-lo. Um ponto muito importante nesse debate e na conscientização das pessoas é que o Brasil cobra altos impostos, mas reverte pouco para saúde, educação e qualidade de vida da população. Os países com maior índice de desenvolvimento humano (IDH), como os escandinavos, têm alta tributação, mas revertem tudo para seus cidadãos, com escola e atendimento de saúde 100% gratuitos e de alta qualidade”, avalia o vice-presidente da CDL-BH.

Fonte: Portal BHAZ