John Forman desiste de fazer parte do conselho da Petrobrás

16/01/2019

Um dia depois de ser indicado para o conselho de administração da Petrobrás, o geólogo John Forman desistiu do cargo. Ao site especializado epbr, ele disse ter sido perseguido pela imprensa, que teria a intenção de atingir o governo. Por isso, preferiu abrir mão de fazer parte do colegiado da estatal.

Ao noticiar a indicação do geólogo, veículos de imprensa destacaram que Forman foi condenado em processo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que tratou do uso de informação privilegiada sobre negócios da petroleira HRT, da qual foi conselheiro. Ele recorreu da decisão.

“Optei por não aceitar a indicação (para conselheiro da Petrobrás)”, afirmou Forman. Ao Estadão /Broadcast, o geólogo disse apenas que está “muito chateado com a imprensa” e não comentou a desistência.

O caso envolvendo o indicado pela União para o conselho de administração da Petrobrás, ocorreu em 2013.

Uma ligação telefônica levantada como prova pelo órgão regulador mostra que Forman tinha conhecimento de que a petroleira HRT (hoje PetroRio) divulgaria um fato relevante que derrubaria as ações. O executivo havia sido conselheiro da empresa, que naquele ano reportou o fracasso na exploração de duas áreas de óleo e gás na Namíbia.

Em 2016, Forman foi multado em R$ 338 mil por negociar R$ 1,5 milhão em ações da companhia em julho de 2013, evitando um prejuízo de R$ 169 mil. “A notícia deve sair no fim da tarde de hoje ou amanhã de manhã”, diz Forman na gravação para os operadores do Credit Suisse, que receberam a ordem de vender os papéis.

Procurada, a Petrobrás ainda não se pronunciou.

Fonte: O Estado de S.Paulo