Reforma da Previdência favorece retomada de investimentos

12/07/2019

O avanço da tramitação da reforma da Previdência no Congresso abre espaço para a retomada dos investimentos no país. A avaliação é de representantes de empresas e de entidades empresariais ouvidos pelo GLOBO. De acordo com esses executivos, os parlamentares e o governo precisam usar a nova Previdência — que ultrapassou a primeira fase de votação na Câmara na quarta-feira — como gatilho para emplacar outras reformas, como a tributária, capazes de melhorar o ambiente econômico do país e favorecer a retomada efetiva do crescimento. A reforma também tem aumentado a demanda de investidores estrangeiros por advogados e consultorias em busca de oportunidades de negócios no Brasil.

Jacyr Costa Filho, diretor da operação brasileira do grupo francês de açúcar e etanol Tereos, avalia que o alívio fiscal proporcionado pelas mudanças na Previdência cria um ambiente propício ao investimento e ao aumento de consumo das famílias, pela provável queda dos juros entre os efeitos:
— Vamos acompanhar a evolução da economia e a perspectiva de que, a esta reforma, sigam-se outras, importantes para a retomada do crescimento, especialmente a tributária.

Fernando Galletti, presidente da Minerva Foods, multinacional do setor de alimentos sediada em São Paulo com faturamento de R$ 17 bilhões em 2018, vai na mesma linha:
— Os investidores vão, gradualmente, ganhando confiança para novos ciclos de investimentos. Para nosso setor é positivo, pois reaquece a demanda interna.

A esperança de reaquecimento da demanda nos próximos meses pode desencadear alguns investimentos já no curto prazo. É o caso da Lojas Cem, varejista paulista com faturamento anual de R$ 6 bilhões. De acordo com o superintendente José Domingos, a expectativa é de expansão das vendas acima de 10% em 2019, a primeira em quatro anos. Será o suficiente para a empresa investir R$ 220 milhões em 2019 — 22% mais que em 2018 — na abertura de 12 lojas e um novo centro de distribuição ao lado da matriz, em Salto, no interior paulista.

Marco Stefanini, fundador e presidente global da Stefanini, empresa de tecnologia, observa que a reforma da Previdência não é a única de que o país precisa para voltar a crescer, mas destaca o componente psicológico do placar de 379 votos favoráveis na Câmara:

— A maioria expressiva revela que houve entendimento e serenidade sobre a questão. É uma sinalização positiva.

Investidores estrangeiros, sobretudo ligados à infraestrutura, também acompanham com atenção a tramitação da reforma da Previdência. Nas últimas semanas, com o avanço da proposta na Câmara, escritórios de advocacia e consultorias internacionais registraram aumento do interesse de fundos de investimento, comercializadoras de commodities e estatais de países da Ásia, Europa e América do Norte por informações sobre oportunidades de investimentos com a perspectiva de melhora no ambiente econômico.

Ajuda a aumentar o interesse a quantidade de ativos à venda hoje no Brasil. A procura maior é pelo setor de petróleo e gás. Somente a Petrobras iniciou o processo de venda de 13 -negócios, incluindo campos de petróleo, subsidiárias de gás e refinarias. No fim do ano, um megaleilão do pré-sal deve levantar cerca de 100 bilhões em bônus e R$ 400 bilhões em investimentos, segundo estimativas da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Fonte: O Globo