Dia Livre de Impostos movimenta postos da Capital

03/06/2019

O Sindiposto, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas Jovens de Goiânia (CDL Jovem) e o Sistema de Cooperativa de Crédito do Brasil (Sicoob), realizou na última quinta-feira (30.05) o Dia Livre de Impostos. Foi a 13ª edição do evento que tem o propósito de promover a consciência tributária entre os consumidores.

Durante todo o dia, em horários preestabelecidos pelos postos participantes e com limite de consumo por cliente, cinco postos de combustíveis de Goiânia venderam gasolina comum com 42% de desconto. Motoristas e motociclistas fizeram filas quilométricas para abastecer nesses postos. As vendas aconteceram enquanto duraram o estoque de 2 mil litros do combustível da promoção, ficando o abastecimento limitado a R$ 50,00 por veículo.

O Dia Livre de Impostos, que aconteceu em diversas cidades do país, envolveu empresas de vários segmentos do comércio, tais como supermercados, drogarias, shopping centers, padarias, restaurantes e até concessionárias de veículos, que venderam seus produtos e serviços sem repassar o valor da tributação no preço final.

“Nossa intenção foi mostrar para o consumidor como a alta carga tributária impacta no preço final do combustível. Hoje, praticamente metade do que é cobrado na bomba vai para os cofres públicos”, afirmou Márcio Andrade, presidente do Sindiposto, ressaltando que os altos preços dos combustíveis se devem não às margens praticadas pelos postos, mas aos impostos que incidem sobre o produto.

Márcio Andrade lembra que a revenda é quase sempre mostrada como a vilã dos preços altos, no caso dos combustíveis, mas que ela também sofre com a queda nas vendas. “A reforma tributária precisa ser colocada em votação e aprovada no Congresso Nacional com urgência, para que haja uma redução da carga de impostos, de modo que todos possam pagar e, consequentemente, haja uma queda nos índices de sonegação, tornando a cobrança mais justa.”, observou.

Em um ranking de 30 países, o Brasil é o 14º que mais arrecada impostos, conforme o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). A carga tributária brasileira está entre as mais elevadas do mundo, que corresponde a uma média de 41,8% do rendimento bruto de cada cidadão. E um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que 74% dos consumidores brasileiros não têm o hábito de se informar sobre quanto pagam de imposto ao adquirir um bem ou contratar um serviço.

Este slideshow necessita de JavaScript.