Venda de refino da Petrobras fica para 2021

14/05/2019

A venda das refinarias da Petrobras, sem bem-sucedida, tem potencial para reduzir o endividamento da empresa de forma significativa, mas só a partir de 2021. O presidente da estatal, Roberto Castello Branco, já afirmou que a companhia espera levantar cerca de US$ 15 bilhões com o plano de desinvestimentos no refino, montante que representa 19% do atual patamar de dívida da empresa. A petroleira fechou o primeiro trimestre com um endividamento bruto de US$ 78,8 bilhões, excluindo os efeitos da norma IFRS 16.

A venda das refinarias, porém, não deve ser sacramentada no curto prazo. Em comunicado enviado aos empregados, na semana passada, a petroleira informou que a Petrobras pretende divulgar oficialmente as informações preliminares para avaliação do negócio ao fim do primeiro semestre. A expectativa é que as “etapas subsequentes” ocorram entre o segundo semestre deste ano e o primeiro semestre de 2020 e que a transferência da operação para o comprador e o fechamento do negócio fiquem para 2021. Para ler esta notícia, clique aqui.

Fonte: Valor Econômico