Petrobras desaba na Bolsa com intervenção do governo

12/04/2019
As ações da Petrobras abriram o pregão em queda na manhã desta sexta-feira. Por volta das 10h15, os papéis da companhia recuavam 5,82% e os ordinários, 4,86%.O mau desempenho dos papéis contribuem para derrubar o Ibovespa. O principal indicador da Bolsa caia 1,44% aos 93 mil pontos.Em Nova York, as ADRs (American Depositary Receipts) da estatal caiam mais de 4%.

Ontem, horas depois de anunciar o aumento do preço do diesel, a estatal voltou atrás e informou que manterá “por mais alguns dias” o preço praticado desde 26 de março, quando mudou sua política de reajustes.

A explicação dada pela companhia foi que ela analisou a sua posição de hedge e avaliou, ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel.

A decisão da Petrobras em voltar atrás no reajuste no preço do diesel acendeu a luz vermelha no mercado. Segundo o site G1,

o recuo na decisão da companhia ocorreu após uma determinação do presidente Jair Bolsonaro, o que suscita dúvidas quanto à autonomia da petrolífera.

A preocupação do governo é que ocorra mais uma greve dos caminhoneiros. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o diesel é importante para os caminhoneiros e para o transporte de cargas. Também afirmou que um reajuste maior seria um solavanco na economia.

Nos últimos dias, os líderes da categoria dos caminhoneiros passaram a ameaçar com a retomada de movimentos grevistas devido à alta no diesel e aos preços dos fretes.

Para os analistas da Guide Investimentos, a atual política de preços adotada pela Petrobras é uma das principais vitórias do Parente na estatal.  A medida contribuiu para a Petrobras recupera sua participação no mercado doméstico, uma vez que essa nova política tornar a importação de combustíveis menos atrativas para outros players do mercado, além de contribuir para melhor rentabilidade da companhia.

Além disso, com o atual patamar dos preços do petróleo, temos um cenário mais benigno para a estatal, que aumentou bastante a sensibilidade com o preço internacional com essa nova política de preços local. “Uma eventual interferência maior política na gestão da estatal é algo que deverá também trazer maior incerteza aos papéis de PETR4.”

Fonte: Exame