Centro-Oeste é o motor da economia brasileira, diz Ricardo Amorim

23/11/2018

Para o economista Ricardo Amorim, o Centro-Oeste é uma terra de oportunidades. Com taxas de crescimento de fazer inveja para as demais regiões, o Centro-Oeste deve se beneficiar ainda por muito tempo do crescimento do agronegócio. A análise foi feita durante palestra na abertura do VII Encontro dos Revendedores de Combustíveis do Centro-Oeste do Brasil, nesta quinta-feira (22) em Goiânia.

Promovido pelo Sindiposto, em parceria com o Sinpetro-MS, Sindicombustíveis-DF, Sindipetróleo e Fecombustíveis, o evento está acontecendo pela primeira vez em Goiânia, no auditório da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás (FAEG). Com quase 600 inscritos, a abertura do encontro teve a presença maciça de empresários da revenda e de várias autoridades, como o prefeito da capital, Iris Rezende; o presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Gilberto Marques Filho; o presidente da Fecombustíveis, Paulo Miranda e os vereadores Wellington Peixoto e Anselmo Pereira.

Dando as boas vindas aos participantes, o presidente do Sindiposto, Márcio Andrade, afirmou que é chegado o momento de avaliar o modelo de abastecimento nacional e discutir possíveis aperfeiçoamentos na regulação do setor. ”Eventos como o Encontro de Revendedores nos proporciona a melhor oportunidade para avaliarmos o impacto dessas possíveis modificações, entre elas a retirada de barreiras regulatórias e a ampliação da competição no setor”, ressaltou.

Em sua fala, o presidente da Fecombustíveis, Paulo Miranda, chamou a atenção para a dificuldade de empreender no segmento de combustíveis devido ao excesso de exigências, burocracia e fiscalização e para a importância da união do setor. “Nós precisamos valorizar os sindicatos e nos mantermos unidos, porque só assim conseguiremos manter nossos negócios”, alertou.

Otimista, o economista Ricardo Amorim iniciou sua palestra dizendo que as expetativas sobre o Brasil de repente mudaram de uma forma impressionante. A eleição de Jair Bolsonaro é um dos fatores, mas, segundo ele, o Brasil já voltou a crescer no ano passado, iniciando um novo ciclo de crescimento. “Há oito trimestres que o PIB brasileiro cresce ininterruptamente, sendo que no último começou a acelerar”, declarou.

Com base em dados estatísticos, ele demonstrou que há mudança nos sinais de confiança da indústria, a geração de emprego voltou a crescer, a taxa de câmbio se estabilizou, a inflação está sob controle, o que deve levar à queda nas taxas de juros. “Este é um momento de oportunidades, principalmente aqui no Centro-Oeste”, observou.

Conforme Amorim, a retomada da economia brasileira, assim como o crescimento da classe média nos países em desenvolvimento, está provocando um aumento na demanda por alimentos e o agronegócio brasileiro vai se beneficiar disso. “Grande parte da produção agrícola brasileira está no Centro-Oeste e ela gera demanda por transportes. Como o maior principal modal de transporte do país é o rodoviário, isso significa que vai precisar de combustíveis”, disse ele.

Fonte: Assessoria Sindiposto GO